sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Semana Difícil

Esta semana foi particularmente difícil de passar. Em parte porque o cansaço acumulado me faz perder algum discernimento, e alguma sensatez, que já de si não abunda. Dei comigo a correr entre escolas, reuniões, formação, casa; o corte de trânsito do Terreiro do Paço está a causar-me mais transtornos do que alguma vez imaginei e para ajudar à festa, as obras na A8 fazem com que o meu regresso a casa ao principío da noite sejam a versão nocturna do IC19, ah, mas já me esquecia, que o IC30 também está no seu melhor, e agora a Nacional 9 já tem mais obras!! Bastante desgastante é eu fazer estas vias DIARIAMENTE, e eu a achar que dar aulas no sistema e condições actuais era desgastante, agora isso para mim é manteiga! Tou farta de estrada, tou exausta!
E é este cansaço que me baixa as defesas e me deixa vulnerável a situações que normalmente nem sequer me afectam, e que faz despoletar em mim um sentimento de tristeza profunda, que num efeito bola de neve me faz sentir ainda pior.
Quanto mais olho à minha volta mais tenho a certeza que estou a fazer tudo ao contrário da minha natureza, as minhas obrigações puxam-me para um lado e a minha essência, aquilo que sou puxa-me para o lado oposto; não vivo, sobrevivo à espera que o tempo passe e me traga dias mais compridos, é assim que me sinto, sem vida própria. Por cada lufada de optimismo surgem duas de obrigações, e pareço asfixiada em tarefas que se amontoam na minha agenda.
Felizmente chegou o fim de semana e a pausa do carnaval, preciso de arejar e de por as ideias em ordem, preciso de me reorganizar e definir prioridades, preciso de sol, troco o sentir-me sózinha pelo estar sózinha, tenho a todo o custo que evitar entrar em colapso.

2 comentários:

Miguel disse...

Olá! Não sei se comentar algo que se encontra na secção dos desabafos é legítimo, no entanto passei apenas para dizer que apesar de ainda não frequentar tantas estradas, os transportes publicos que tenho de apanhar para ir de Sintra a Lisboa fazem-me perder muito tempo e só me deixam triste e a pensar que o meu lugar não é ali. Esta sensação de sabermos que não nos encaixamos é algo terrivél, uma vez que temos a certeza do que não queremos, mas o que queremos às vezes não é assim tao palpável e parece por vezes longinquo. Desculpa a intromissão no teu desabafo analuciana.

HAZEL disse...

Espero que já estejas mais recuperada, amiga. Só agora li este teu texto.
Aconselho-te a abraçares uma árvore com a qual sintas afinidade. Isso ajudar-te-à a receber uma boa recarga de energias.

Um beijo

Blog Widget by LinkWithin